fbpx

Blog

Eficiência Hídrica: Um copo meio cheio!

blog

Com o país a atravessar a maior seca dos últimos anos, a escassez de água potável tornou-se um dos temas mais sensíveis da atualidade.

Sendo a água um recurso limitado e esgotável, ainda que indispensável à sobrevivência da humanidade, a necessidade de iniciarmos um consumo mais responsável tornou-se imperativa.

Uma maior eficiência hídrica nos edifícios nasce como uma das soluções viáveis para contornar o problema, ao ajudar-nos a diminuir os desperdícios de água e energia no nosso quotidiano, ao mesmo tempo que salvaguarda o futuro do planeta e dos seres vivos que nele habitam.

Venha saber como!

A ferver… em pouca água.

Depois do mês de maio ter sido classificado como o período mais quente dos últimos 92 anos pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a mais recente vaga de calor veio bater novos recordes por toda a europa. Com as temperaturas a ultrapassar os 40 graus Celsius, a crescente preocupação quanto ao período de seca meteorológica severa e extrema que atravessamos em Portugal tornou-se o foco de muitos especialistas.

Segundo um estudo publicado na Nature Geoscience, 2022 é já considerado o ano de maior seca em Portugal e Espanha, nos últimos 1,200 anos. A explicação está na intensificação e aumento do anticiclone dos Açores, o fenómeno atmosférico que influencia o tempo e o clima por toda a Europa ocidental e costa leste dos Estados Unidos da América.

Ainda de acordo com a mesma fonte, as consequências destas alterações resultam em condições de seca fora do padrão normal, bem como na diminuição das chuvas entre 10 e 20%, até ao final do século. Valores alarmantes que comprometem um futuro hídrico sustentável, e que colocam o país numa posição vulnerável.

Mas afinal, que medidas podemos tomar a fim de protegermos este bem essencial?

Recentemente, Portugal recebeu a Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, onde decorreu o Simpósio de Alto Nível sobre Água. Um momento criado para reforçar parcerias, fortalecer a coordenação entre as políticas de água doce e oceânica, e apelar a uma gestão mais sustentável dos recursos hídricos disponíveis.

No entanto, as preocupações nacionais quanto à sustentabilidade hídrica não ficaram por aqui.

Posteriormente, a Assembleia da República mostrou-se alarmada com o panorama atual, ao recomendar ao Governo português que inclua no Programa Nacional de Reformas para 2022 uma revisão do Plano Nacional da Água.

Uma recomendação que prioriza a criação de novas restrições ao uso de água em atividades económicas especificas, e que realça a necessidade de identificar novas fontes de água, para que possamos garantir um uso mais eficiente da mesma.

Para além disso, o documento prevê ainda a identificação das zonas mais propensas à escassez de água, bem como dos diversos tipos de cultura compatíveis com a disponibilidade hídrica para as próximas décadas. Um passo importante rumo à sustentabilidade hídrica, que nos posiciona numa dinâmica de maior consciência quanto à utilização, aproveitamento e proteção das nossas águas.

Contudo, existem outras medidas que podem ser adotadas, não só pelos consumidores, como também pelos construtores e prestadores de serviços, e que podem fazer toda a diferença.

Não fique à seca!

De acordo com a ONU, o ser humano precisa de cerca de 110 litros de água por dia para satisfazer as suas necessidades básicas diárias. No entanto, o português consome aproximadamente 190 litros de água por dia, segundo a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), um valor muito acima do recomendado.

Um desperdício que necessita de ser reduzido, se quisermos evitar uma trágica crise de escassez de água em Portugal, já prevista para 2040. Crise essa, que irá obrigar os portugueses a viver com apenas 25 litros de água por pessoa, segundo um estudo realizado pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Mas a redução deste consumo torna-se possível, com ajuda de algumas mudanças de hábitos diários bastante simples!

Afinal, cerca de 60% do consumo de água em ambiente doméstico é realizado durante a nossa higiene diária, segundo a EPAL – Grupo de Águas de Portugal. Rotinas diárias que nos levam a desperdiçar até 12 litros de água em apenas 60 segundos, de acordo com a mesma fonte.

Ainda em concordância com os dados fornecidos pela EPAL, este desperdício acontece em pequenas rotinas diárias, como a lavagem dos dentes, onde podemos gastar cerca de 36 litros de água desnecessariamente, ou até num simples duche rápido, onde é possível gastar-se cerca de 60 litros de água.

Desta forma, a gestão das águas nos centros urbanos ganha uma relevância inquestionável, por se mostrar essencial para atingir uma maior eficiência hídrica nos edifícios!

Segundo a ADENE – Agência para a Energia, o potencial de eficiência hídrica nos edifícios está estimado entre os 30 e 50%. Algo concretizável através da adoção de soluções hídricas mais eficientes, que poderão resultar numa poupança de água e, claro, numa consequente poupança económica de 800 milhões de euros por ano. Pelo que a adoção destas novas soluções irá permitir a diminuição do desperdício hídrico e energético, enquanto acrescenta mais valor aos edifícios, um maior conforto aos consumidores e um aumento da poupança nas suas faturas de água e luz.

A eficiência hídrica incentiva ainda a inovação e a criação de novos negócios, postos de trabalho e capacitação de profissões especializadas, o que irá ajudar as cidades a tornarem-se mais inovadoras, inteligentes e preparadas para uma gestão de recursos mais eficiente.

Contudo, a redução do consumo de água no contexto doméstico não depende somente da alteração de rotinas quotidianas.

A utilização de equipamentos sanitários mais eficientes permite não só reduzir o consumo de água e energia, como ter uma poupança significativa nas suas faturas. Assim, os edifícios poderão oferecer uma melhoria da eficiência energética aliada a um aumento da responsabilidade ambiental e uma garantia de sustentabilidade.

Nesse sentido, algumas torneiras inteligentes presentes no mercado podem fazer toda a diferença no seu dia a dia.

Quer saber quais?

Levamos a água ao vosso moinho!

Uma das soluções mais populares no mercado são as torneiras com sensor. Um excelente exemplo disso são as Torneira de Bancada e Torneira de Parede com Sensor Bluway.

Soluções inteligentes, que aliam o estilo moderno ao design funcional e que possuem um sensor ativado por movimento, para que possa gastar água apenas quando precisa realmente dela. Para além da capacidade de poupança, estas torneiras são a solução perfeita no combate à transmissão de vírus e bactérias.

Eficiência Hídrica: Um copo meio cheio! 1

Outro dispositivo bastante apelativo é a Torneira De Bancada ECO Bluway que, contrariamente às torneiras habituais, tem um sistema de abertura natural que promete ajudar a diminuir os consumos de água e energia.

Quando colocada para cima, a alavanca liberta apenas água fria, pelo que poderá minimizar o uso desnecessário de água quente e da energia utilizada para o aquecimento da mesma.

No entanto, se precisar de água quente, basta colocar a alavanca à esquerda e terá acesso a um fluxo de água aquecida. Para além disso, esta torneira inteligente tem um sistema areador que incorpora ar no fluxo, o que ajuda a diminuir o desperdício.

Eficiência Hídrica: Um copo meio cheio! 2

Também durante o banho é igualmente possível utilizar produtos mais eficientes! A Torneira Misturadora De Duche Bluway é a solução perfeita para banhos com menos desperdícios.

Eficiência Hídrica: Um copo meio cheio! 3

Dotada de um sistema de controlo e direcionamento do fluxo de água, esta torneira inteligente permite que a temperatura da água seja alternada através de um sistema de rotação e abertura em alavanca. Com um design clean e moderno, este produto oferece uma altura ajustável e ainda a possibilidade de ser adaptada com chuveiro de mão e ser aplicada na parede.

Soluções inovadoras, práticas e bonitas, para edifícios que desejam fazer parte do futuro.

Afinal, na Fioblu abrimos as torneiras da eficiência, para que tenha sempre o copo meio cheio!

Clique para descobrir mais sobre as especificações técnicas acerca das torneiras Bluway.

Partilhar
Share on facebook
Share on linkedin

Artigos relacionados

Recentemente, a ameaça do corte ao fornecimento de gás russo levou a que os Estados-membros da União Europeia sentissem a necessidade de repensar o gasto energético produzido por toda a[...]

Presentemente, o setor da construção é considerado um dos mais impactantes para o meio ambiente. O elevado consumo de recursos naturais, a degradação dos solos, o gasto de energia elétrica[...]

Por serem considerados mais ecológicos, eficientes e económicos, os veículos elétricos (VE) conquistaram um lugar de destaque no mercado automóvel, ao longo dos últimos anos. Com o objetivo de acompanhar[...]

X
Add to cart