fbpx

Blog

Podem as plantas purificar o ar?

annie-spratt-S7viz8JWxwY-unsplash

Remover toxinas e poluentes e renovar a qualidade do ar não é um conceito moderno, que surgiu com a invenção dos purificadores de ar…! Desde sempre, a Natureza tem sido o seu próprio elemento renovador, e, por isso, existe uma solução natural para a renovação do ar e a eliminação de poluentes. Mas será que é suficiente?

A qualidade do ar interior

Já muito temos falado sobre a importância de conhecer a qualidade do ar e de controlar e calcular os índices poluentes, especialmente tendo em conta o tempo que passamos dentro dos edifícios.

A Organização Mundial de Saúde até já deu nome a este fenómeno: o Síndroma dos Edifícios Doentes, um conjunto de doenças e condições causadas ou ampliadas pela poluição do ar em espaços fechados, onde passamos a maioria do nosso tempo.

Porque existem tantos poluentes em espaços fechados?

Dentro dos edifícios existe uma maior probabilidade de encontrarmos os chamados COVs – compostos orgânicos voláteis – inimigos pequeninos e invisíveis a olho nu, causadores destas doenças.

Os edifícios são terrenos férteis para os COVs devido à grande concentração de substâncias químicas libertadas por uma panóplia de fatores: desde os nossos tapetes, aos materiais de construção e tintas aplicadas, até aos nossos móveis, eletrodomésticos, e mesmo os nossos companheiros animais… É por isso que se aconselha arejar os edifícios pelo menos dez minutos por dia.

Estas são as principais substâncias tóxicas encontradas no ar interior:

  • Tricloroetileno: Encontrado em tintas, vernizes e adesivos. Pode provocar tonturas, dores de cabeça, náuseas, sonolência e até levar ao coma.
  • Formaldeído: Encontrado em sacos, toalhas, lenços de papel, guardanapos, tecidos sintéticos e móveis de derivados de madeira. Pode causar irritação no nariz, na boca, na garganta e, nalguns casos, até mesmo inchaço da laringe e inflamação dos pulmões.
  • Benzeno: Utilizado no fabrico de produtos de plástico, corantes, detergentes e fibras sintéticas. Encontrado também no fumo do tabaco, no escape dos carros e em muitos outros produtos. Pode causar irritação nos olhos, sonolência, tonturas, aumento do ritmo cardíaco, dores de cabeça e, nalguns casos, pode deixar a pessoa inconsciente.
  • Xileno: Pode ser encontrado em tintas de impressão, borracha, couro, fumo de tabaco e escapes de carros. Os sintomas causados variam desde irritação na boca e na garganta, até tonturas, dores de cabeça e confusão. Nalguns casos, originam problemas no coração, no fígado ou nos rins e podem mesmo levar ao coma.
  • Amoníaco: Encontrado numa grande variedade de itens domésticos, como produtos de limpeza, ceras e fertilizantes. Quando inspirado, o gás pode causar irritações e dificuldades respiratórias, broncoespasmos, queimaduras da mucosa nasal, da laringe, da faringe, dor no peito ou edema pulmonar.

Como podem as plantas ajudar?

A introdução de determinadas plantas nos espaços interiores pode ajudar a melhorar a qualidade do ar, especialmente no inverno, quando arejar se pode tornar mais complicado.

Em 1989, a NASA divulgou um estudo que apresentava as plantas mais indicadas para a missão de renovar o ar em espaços fechados, bem como as mais úteis no auxílio da humidificação do ar – contudo, é importante realçar que este estudo tem 30 anos e foi feito apenas em ambiente de laboratório.

Que plantas podem ajudar?

Podem as plantas purificar o ar? 1

A Palmeira-Bambu é uma boa opção para espaços interiores. Natural da América Central e México, esta planta é difícil de encontrar no nosso país dada a sua preferência por climas mais tropicais e húmidos.

Atua como um humidificador natural, filtra os tricloroetilenos e o benzeno, e elimina os formaldeídos e os xilenos.

O tamanho da Palmeira-Bambu pode variar – na FioBlu pode encontrar uma versão juvenil e uma versão adulta.

 

Respondendo à pergunta inicial: podem as plantas purificar o ar?

Os estudos da NASA foram feitos em laboratório e, por isso, o ambiente não é uma reprodução fiel do que acontece em ambiente doméstico ou de trabalho.

Para responder a esta pergunta, é preciso calcular a taxa de entrega de ar limpo (o CADR) de cada planta. O Clean Air Delivery Rate mede a quantidade de ar limpo libertado para o ambiente por um determinado purificador, num determinado período de tempo.

Segundo a National Geographic, após feita esta análise, foi possível concluir que, apesar de removerem os COVs, as plantas fazem-no tão lentamente que não o conseguem fazer a um ritmo competitivo, comparativamente a sistemas de circulação de ar existentes nos edifícios e disponíveis no mercado. Para tal, seriam necessárias imensas plantas.

Apesar de não serem, só por si, uma solução para a purificação doa ar, as plantas são, certamente, uma bom complemento a soluções de purificação do ar existentes no mercado.

 

Descubra todas as soluções FioBlu para purificação do ar.

Partilhar
Share on facebook
Share on linkedin

Artigos relacionados

Recentemente, a ameaça do corte ao fornecimento de gás russo levou a que os Estados-membros da União Europeia sentissem a necessidade de repensar o gasto energético produzido por toda a[...]

Com o país a atravessar a maior seca dos últimos anos, a escassez de água potável tornou-se um dos temas mais sensíveis da atualidade. Sendo a água um recurso limitado[...]

Com a chegada da primavera, os dias ficam mais longos, as temperaturas mais amenas e a vontade de passar mais tempo ao ar livre aumenta significativamente. Mas a primavera não[...]

X
Add to cart